Cibersegurança em tempos de Covid-19 e Teletrabalho

 

cibersegurança-covid-19-teletrabalho-2020

Hackers de todo o mundo estão a aproveitar o surto de Covid-19, para acelerar os seus ataques informáticos. Sustentam as suas atividades cibercriminosas no alarmismo social e na atenção mediática global sobre o tema.

 

Desde janeiro 2020, temos assistido a um crescimento exponencial de ciberataques, destacando-se as seguintes tipologias:

    1. Campanhas de phishing (por email, SMS ou por redes sociais) com recurso à imagem de entidades oficiais como a OMS, a UNICEF ou centros de investigação e laboratórios do setor da saúde;
    2. Desde janeiro 2020, foram registados cerca de 16.000 novos domínios relacionados com COVID-19. Os domínios relacionados com o coronavírus têm 50% mais hipóteses de serem mal-intencionados. Foram já identificados sites fraudulentos que “alegam vender” máscaras, vacinas, e testes para detetar o vírus.
    3. Aplicações para dispositivos móveis que aparentam divulgar informação em real time sobre a pandemia. O caso mais evidente desta prática é a APP COVID-19 Tracker (não instalar a aplicação);
    4. Esquemas de fraude digital partilhados por email ou em redes sociais, que divulgam iniciativas de crowdsourcing para a recolha de donativos para falsas campanhas;
  1. SMS enviados informando que estão a ser aplicadas medidas extraordinárias para o combate ao Covid-19, e que todos os cidadãos nacionais serão vacinados, sendo garantido um reembolso dos custos pelo governo.

 

Aconselhamos a que tenha extrema prudência no acesso, receção e partilha de conteúdos digitais associados à temática da pandemia Covid-19. Dê prioridade às fontes oficiais de informação (OMS, DGS e o Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças).  Não participe na amplificação de notícias falsas.

 

Trabalha em regime de teletrabalho (home office)?

Se trabalha a partir de casa siga atentamente as 8 recomendações do Centro Nacional de Cibersegurança:

 

  1. Utilizar apenas dispositivos autorizados pela empresa;
  2. Não partilhar estes dispositivos com os seus familiares;
  3. Garanta, com os responsáveis pela informática da sua organização, que os dispositivos estão atualizados e possuem antivírus e a firewall ativados;
  4. Faça backups regulares seguindo a regra 3-2-1.
  5. Evita usar o Wi-Fi de espaços públicos ou desconhecidos e utiliza apenas a VPN da empresa;
  6. Não abras emails ou SMS nem clique em links ou anexos desconhecidos ou suspeitos;
  7. Não partilhe informação profissional nas redes sociais;
  8. Garanta que o seu Wi-Fi doméstico tem uma password forte, altere-a com regularidade.

 

Conteúdo adaptado do Centro Nacional de Cibersegurança.

Recursos de Cibersegurança:


Necessita de apoio à implementação de uma solução funcional e segura de teletrabalho?

Fale connosco e obtenha aconselhamento técnico especializado!

Nome*
Email*
Telefone*
Localidade*
Em que podemos ajudar?*

Comments are closed.